Unexpected results... are good results!!!

During the last week we successfully drilled the first site on the Gulf of Cadiz,  just around 30 km southeast of Faro. The target was a gigantic mound of mud, silt and sand (the Faro drift) that has been shaped by bottom currents linked to the Mediterranean Outflow…for about the last 5 million years of Earth history.

Ao longo da última semana perfurámos com sucesso o primeiro local no Golfo de Cádis, apenas cerca de 30 km a sudeste de Faro. O alvo era um monte gigante de lama, lodo e areia (a crista contornítica de Faro), que foi moldada por correntes de fundo relacionadas com a água proveniente do Mar Mediterrâneo... durante os últimos 5 milhões de anos da história da Terra.

 

We recovered nearly 1000 m of sediment from three separate holes, the deepest to 526 m below the seafloor. As expected the lithologies consisted mostly on cyclic patterns of mud, silt and sand, together with other detailed features of the sediments and their microfossil content, know as contourites.

Foram recolhidos cerca de 1000 m de sedimentos em três furos separados por algumas dezenas de metros, estando a base do mais profundo a 526 m abaixo do fundo do mar. Como esperado a maior parte do material recuperado consistia sobretudo em alternâncias cíclicas de argilas, siltes e areia designadas por contornitos.

Quite unexpected, however, was our encounter with thick turbidite sands (left on the photo below) and chaotic debris-flow deposits (right on the photo below) directly beneath the contourite drift. These were derived more directly from the continental shelf and coastal regions, transported downslope by turbidity currents and other high-energy mass transport processes. They are full of quartz sand, broken-up shallow water shelly debris, and even some pebbles.

No entanto, algo bastante inesperado, foi a recuperação de depósitos turbidíticos (lado esquerdo da foto em baixo) e de fluxos de detritos caóticos (lado direito da foto em baixo) sob os contornitos. São essencialmente constituídos por areias de quartzo, fragmentos de conchas e até mesmo alguns seixos provenientes da plataforma continental e das regiões costeiras que foram transportadas ao longo do talude continental por correntes de turbidez e outros processos de transporte de massa de alta energia.

These findings are especially pleasing to the co-chief scientists. Finally, they have some proof and some answers about the Faro drift, but also new questions... and that is how science works.

Estas descobertas são especialmente interessantes ​​para os cientistas responsáveis por esta missão oceanográfica. Finalmente, eles têm algumas provas e algumas respostas sobre a crista de contornitos de Faro, mas também novas questões... Este é um bom exemplo de como a ciência funciona.

Comments

Alunos - Escola Secundária Miguel Torga

Professor, estamos entusiasmados com a participação neste projeto.
Temos várias questões para colocar.
Devemos colocá-las no dia 4 de janeiro quando estivermos na videoconferência?
De quanto tempo é a videoconferência?
Como podemos aceder, no dia 4, para colocarmos as questões?

Obrigada

Olá!!!

Fico muito contente por saber que estão tão entusiasmados com o que estamos a fazer a bordo deste navio fantástico ;)

Se as vossas perguntas estiverem de alguma forma relacionadas com as entradas do blogue podem colocá-las de imediato, que eu responderei assim que puder.

As restantes podem colocá-las durante a videoconferência (em que usaremos o Skype) que terá uma duração de 30 a 45 minutos.

Quanto ao resto não se preocupem, pois temos quase tudo combinado com as vossas professoras.

Até breve!

Afonso Guerreiro 10ºD

Olá professor...

Professor, já alguma vez tinha sido tentado a descoberta de respostas sobre a crista de contornitos de Faro, ou é a primeira vez?

Porquê que é que a descoberta de depósitos turbidíticos e de fluxos de detritos caóticos sob os contornitos foi assim tão inesperada?

Obrigado

Olá Afonso!

Foi de facto a primeira vez que uma crista contornítica foi perfurada. A crista de contornitos de Faro tem cerca de 100 km de comprimento, até 20 km de largura e mais de 500 m de espessura, com um volume estimado de cerca de 1000 milhões de metros cúbicos de sedimentos. A crista contornítica de Faro é uma das mais estudadas em todo o mundo e provavelmente a que melhor se conhece. Todavia, a descoberta de depósitos turbidíticos e de fluxos de detritos caóticos sob os contornitos foi uma enorme surpresa devido à sua idade (que precisa ainda de ser determinada com mais precisão) e por indicarem a ocorrência daquilo que parece ter sido um ou vários grandes episódios de erosão do fundo do mar anteriores à deposição dos contornitos.

Afonso Guerreiro 10ºD

Obrigado Professor.